Deixe um comentário

A carne é fraca; empresas usavam carne vencida e subornavam fiscais para que os produtos chegassem até o consumidor

A Polícia Federal realiza hoje (17) a sua maior operação em solo brasileiro. Cumpre 311 mandados judiciais, em sete estados – Rio Grande do Sul, São Paulo, Distrito Federal, Paraná, Santa Catarina, Minas Gerais e Goiás

Batizada de “Carne Fraca”, a investigação apura o envolvimento de fiscais do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) em um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos.

No alvo, as maiores empresas do setor, como a BRF Brasil e a JBS. De acordo com a PF, os fiscais pediam propina aos empresários, que chegavam até a indicar quem exerceria a fiscalização nas empresas. O delegado federal Maurício Moscardi, declarou que ”  parte do dinheiro pago aos agentes públicos abastecia o PMDB e o PP.”

O absurdo

A empresas envolvidas ‘maquiavam’ carne vencida e subornavam fiscais  do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para que o produto chegasse até o consumidor. As investigações duraram dois anos até a investigação final.

Empresas envolvidas

Algumas das maiores empresas do ramo alimentício do país estão na mira da operação, entre as quais a JBS, dona de marcas como Big Frango e Seara, e a BRF, detentora das marcas Sadia e Perdigão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *